Truthtelling: é preciso ser a verdade

Dizer a verdade não é mais suficiente, é preciso ser a verdade. É o conceito defendido pelo gerente de publicidade da Petrobras Raul Santahelena, no livro “Truthtelling” que será lançado em dezembro. Nele, o executivo da estatal ressalta que as pessoas não abrirão mais suas carteiras, e muito menos seus corações para marcas que insistirem em discursos vazios.

Era da transparência

Mais do que nunca, as marcas devem prezar pelo que diz a famosa frase atribuída a Oscar Wilde: “ética é fazer o certo quando todos estão olhando; caráter é fazer o certo quando não tem ninguém olhando”. O que ele conta no livro Truthelling é que mais do que nunca na história da humanidade, vivemos hoje em um mundo de paredes de vidro, em plena era da transparência e da autenticidade. Épocas em que os muros limítrofes que separavam as instituições das pessoas, da sociedade, vêm sendo sem grande rigor implodidos e explodidos. A cada flagrante, a cada fail, a cada post-desabafo-denúncia e compartilhamento. Atualmente, cada indivíduo se torna um veículo de comunicação. O poder de voz que antigamente era restrito e exclusivo a poucos senhores, hoje está nas mãos de todos.

Fim do “bullshittelling”

Os novos consumidores, empoderados e imponderados, não tem mais tempo nem paciência para discursos desguarnecido e frases de efeito sem substância. Ninguém está mais suportando o que ele denomina de “bullshitetelling”, total oposto do Truthtelling. E a solução para isso é a autenticidade. Ser fiel à suas raízes, sua própria história, crenças e valores. É saber respeitar sua verdade enquanto marca e enquanto empreendedor. E, acima de tudo, respeitar a inteligência das pessoas. Lembrar-se que, os princípios têm esse nome porque devem vir antes de todo o resto. Não basta usar esse movimento somente para comunicação, na fala e nos dizeres, pois acaba sendo um tiro no pé. É preciso deixar com que a autenticidade permeie, contamine e revolucione toda a cadeia de valor da marca.

Propósito

Toda marca, seja ela pequena, média ou grande, deve saber qual a sua   de existir, qual o seu valor na sociedade e qual o seu propósito em fazer parte desse mundo. Com essa descoberta, todos tem o poder de gerar algo positivo em toda corporação e na sociedade. E todos passam a atuar alinhados ao mesmo norte. O consumidor sabe que, cada ato de compra é um ato de apoio a uma ideia, uma atitude e a uma verdade. Eles sabem o quanto precisam desembolsar para investir nos seus produtos ao invés do concorrente.

Autenticidade e relevância

As pessoas hoje em dia têm mais conhecimento sobre o mercado e por conta dos discursos vazios e promessas inexequíveis que vimos cada vez mais, dificilmente eles abrirão suas carteiras e muito menos seus corações para essas marcas.

Autenticidade e relevância são as duas premissas primordiais e elementares para a sobrevivência das marcas em plena selva contemporânea. O desafio delas são justamente descobrir como poder fazer parte do flow midiatizado de consumo imagético das pessoas sem destoar, soar falso, sendo verdadeiro e relevante. Caso contrário, você será cortado fora do jogo e seu concorrente logo virá a ocupar o seu lugar na mesma hora. E o segredo para que a sua marca consiga fazer parte da vida das pessoas é o Truthtelling.

Ser autêntico é o que as empresas devem buscar daqui em diante para que o público se engaje cada vez mais. As pessoas estão cansadas de conteúdo repetitivo.

A internet possibilitou que as pessoas possam opinar sempre que quiserem, por isso ter um conteúdo relevante é o diferencial para que elas continuem a acreditar na essência da marca.

Fonte: Meio & Mensagem

Música e o futuro

Nos últimos anos muitas inovações foram lançadas no mercado, seja para automação, fotografia, mas principalmente o entretenimento. Com o aumento do investimento em tecnologia, a realidade virtual veio para mostrar novos horizontes, com jogos, filmes e agora, música.

Parar no tempo não é possível, mas a Google passou a oferecer uma proposta similar: parar por tempo indeterminado naquela cifra ou trecho preferido de qualquer música. Isso agora é possível por meio do Inside Music, iniciativa que a empresa define “não como um produto, mas como um experimento”.

Com a ajuda do WebVR Experiment, a Google fez uma parceria com esse projeto desde 2009 e realiza trabalhos sonoros com a ajuda da tecnologia de algoritmos, com uma perspectiva de trabalho open-source, ou seja, qualquer um pode contribuir com códigos ou fazer uso de plataformas disponibilizadas.

Esse experimento contou com a parceria do Song Exploder, site em que os artistas entrevistados contam os detalhes de cada trecho de suas composições. Até o presente momento, é possível explorar a ideia do Google por meio de canções de 6 projetos musicais de gêneros e nacionalidades distintos, todos já entrevistados pelo Song Exploder: Nathalia Lafourcade, cantora mexicana que já tem um Latin Grammy; a banda de rock francesa Phoenix; Perfume Genius, projeto pop indie do americano Mike Hadreas, Alarm Will sound, que mistura entre clássica contemporânea, a Clipping, com o hip hop experimental e por fim as irmãs de origem franco-cubana do duo Ibeyil.

Vale a pena conferir essa novidade acessando o site aqui. Apesar das instruções estarem em inglês ele é intuitivo, bastando clicar no cantor + a música e depois selecionar as partes da composição que você quer que toque. Bom divertimento!

 

Fonte: B9

Ô abre alas, que a agência vai entrar

Na quarta-feira, dia 4 de outubro, a maior campeã do carnaval do Rio de Janeiro e vencedora da apuração deste ano, quebrou um jejum de mais de três décadas sem título. A Portela quer rentabilizar sua tradição e samba. A Escola reunia sua diretoria e imprensa em sua sede para firmar contrato com a Saravah Branding Comunicação e Design.

A agência envolverá mais que a reformulação dos elementos visuais da Portela. A proposta é consolidar os ativos e diferenciais da escola para criar produtos, serviços e eventos e outros meios para aproximar a Portela de seus fãs e admiradores ao longo de todo o ano e não somente na época de folia.

A relação entre a Saravah e a Portela já vinha se estabelecendo há algum tempo, pois foi a agência que auxiliou a formalização do projeto “Águia do Coração”, espécie de sócio-torcedor da Escola de Samba, que reúne membros que apoiam financeiramente a agremiação. A escolha de profissionalizar mais a área de branding e marketing cresceu após a conquista do título do carnaval carioca de 2017 – “Para coroar esse ano de conquista, a escola entendeu a importância desse projeto para valorizar e potencializar ainda mais o gigantesco patrimônio imaterial da agremiação”, conta Cristiano Mansur, diretor executivo da Saravah.

O principal ativo de marca a Portela já possui: tradição, credibilidade e empatia entre o público nacional e internacional. A agência propõe tentar mapear, dentro dessas características, novas oportunidades de negócios e trabalhos de marca para incrementar o potencial de negócios da marca Portela. Faz parte da estratégia um trabalho mais apurado no ambiente on-line, aumentando o investimento em produtos licenciados. Segundo o mesmo, já existe uma empresa especializada em license, fazendo um projeto paralelo e vários embaixadores espalhados pelo Brasil e em outros países, inclusive no Japão. Essa nova estratégia de marca vai gerar infinidades de novas fontes de receita para potencializar a escola e ajudar a construir um carnaval mais deslumbrante.

Embora não seja o principal foco da agência, a Saravah pretende se envolver e colaborar para captar mais patrocinadores para a escola – “Certamente o trabalho de estratégia de marca vai ajudar nesse sentido. Afinal, uma marca ainda mais forte, tem maiores chances de atrair novos públicos, logo, também novos patrocinadores”, ressalta o publicitário.

Após firmar contrato, a primeira tarefa da agência será realizar uma pesquisa junto à diretoria, membros da comunidade e formadores de opinião a respeito dos ativos da marca para traçar novos elementos visuais e arquitetar novos projetos.

Viu? Empresas que as pessoas nem imaginam também precisam de uma boa estratégia para cuidar de sua imagem, conquista clientes e continuar a crescer.

Fonte: M&M